Voltar

Dez alimentos que você deve dar adeus em 2016

06 de janeiro de 2016

 

Após o balanço de final de ano, entre as resoluções para a ano que chega sempre inclui cuidar mais da saúde. Um bom modo de começar é com a alimentação. O nutricionista Clayton Camargo fez uma lista com os dez alimentos que devemos dar adeus em 2016. Vamos a eles, na opinião do especialista.



1 – Açúcar branco. Isso porque ele passa por refinamento, tem alto item glicêmico. Assim, dispara a insulina, abrindo o apetite. Isso pode causar sobrepeso ou diabetes. Mas isso não quer dizer que tem que parar de comer doce. Pode comer de maneira orientada e inteligente.

2 – Sal (de maneira geral). Os produtos hoje são processados e o sal está presente em nossa mesa indiretamente. O recomendado é ingerir de dois a cinco gramas de sal por dia. Mas o brasileiro está chegando a 14. Está muito alto. Então o sal deve ser evitado quando adicionado à mesa no dia a dia.

3 – Gorduras saturadas. Hoje em dia os alimentos que mais têm relação com doenças cardiovasculares são aqueles que têm gorduras saturadas. Geralmente acontecem de maneira silenciosa na dieta do brasileiro. Alimentos processados têm mais gordura. Entre os maiores vilões estão as bolachas e biscoitos recheados. Aquela carne de gordura amarela também. Elas são silenciosas. Por isso é importante ficar atento aos rótulos dos alimentos.

4 – Refrigerantes. Podem trazer prejuízo à saúde. Isso porque há componentes que afetam dentes, ossos, cabelos. São aditivos químicos, como sal e sódio, que favorecem à retenção de líquidos. A barriga e o estômago podem ficar distendidos. As pernas inchadas. Tomar refrigerante constantemente pode causar dores estomacais, desconforto. O gás no refrigerante aumenta o suco gástrico e pode aumentar a possibilidade de causar gastrite.

5 – Adoçantes. É bom evitar. Envolve substância artificial, pode causar enxaqueca, alergia, falta de concentração, mudança no paladar. Embora pareça saudável, deve ser usado com orientação.

6 – Lactose. Açúcar do leite e derivados, como queijo, iogurte. Essa associação não é recomendada.

7 – Produtos industrializados. Podem ser saborosos, práticos, com maior durabilidade, mas nem sempre são saudáveis. Têm diversos aditivos químicos. Podem trazer prejuízo. Um dos principais vilões é o sódio (que já citamos). Ele é colocado para preservar o alimento.

Outro componente é a gordura trans. Por isso devemos riscar os produtos industrializados da nossa lista de 2016.

8 – Alimentos diet e light. Eles devem ser consumidos com atenção. E é preciso entender cada um deles:
– Diet é a retirada de algum nutriente. Pode ser açúcar, sódio ou outro nutriente. São direcionados à um público especifico, por exemplo diabético.
– Light é aquele que tem valor energético no conteúdo baixo ou reduzido em pelo menos 25%.

Esses produtos não emagrecem. É mito. Tomá-los não significa que você vai emagrecer.

9 – Farinha branca. Esse alimento é pobre em nutriente e tem alto índice glicêmico semelhante ao açúcar no organismo. O processo de refinamento prejudica.

10 – Carne vermelha. Devemos ficar atentos. Regulá-los de maneira inteligente. Principalmente a carne de vaca. O consumo excessivo causa problemas no coração, aumenta probabilidade de câncer e hipertensão. Por outro lado, se for consumida de maneira cautelosa pode trazer benefícios. O ideal é consumir em torno de 100 a 200 gramas por dia.  Não pode passar de 700 gramas por semana. Assim, evita anemia. Quem preferir pode trocar por carne branca que tem benefícios e não está associada a doenças.



Fonte: Blog Vigilante das Causas Magras /O Estado de S. Paulo