Voltar

Métodos contraceptivos

Métodos contraceptivos

Conheça os métodos contraceptivos e a diferença entre cada um deles

Métodos contraceptivos

17 Agosto 2018

Quase 60 anos depois da criação da pílula anticoncepcional, dezenas de outros métodos já estão disponíveis para evitar a gravidez. No entanto, antes de escolher entre um deles é preciso consultar o médico, que irá realizar exames e consultar o histórico clínico para orientar sobre os métodos mais indicados.

 

 

Preservativo

O método não só é indicado para a evitar a gravidez indesejada como é o único que ajuda a proteger homens e mulheres de doenças sexualmente transmissíveis. Portanto, deve ser utilizado independentemente do método escolhido.

 


Anticoncepcional

Criada em 1960, a pílula anticoncepcional atua, principalmente, inibindo a ovulação e, consequentemente, impedindo a gravidez. Os hormônios utilizados são o estrogênio e a progesterona ou apenas a progesterona. O método é contraindicado para mulheres com doenças graves do fígado, endométrio, câncer de mama e doenças tromboembólicas agudas (como infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral). Em algumas mulheres pode provocar dor mamária, tontura, dor de estômago, alterações de humor e libido, ganho de peso e trombose.

 

Dispositivo intrauterino (DIU)

O DIU, como é mais conhecido, é um dispositivo no formato da letra T colocado pelo ginecologista no interior do útero. O DIU hormonal libera diariamente doses de progesterona dificultando a entrada de espermatozoides no útero. Já a versão de cobre mata os espermatozoides, impedindo a fecundação.  Seu uso pode aumentar o fluxo menstrual e provocar cólicas, enquanto o DIU hormonal pode reduzir o fluxo.

 

Diafragma

O diafragma é um anel de silicone que é introduzido no interior da vagina formando uma barreira na frente do colo do útero, impedindo a entrada de espermatozoides. O anel deve ser colocado antes da relação sexual e retirado até seis horas depois. Para melhor eficácia, deve ser combinado com gel espermicida. Sua eficácia é menor se comparado a outros métodos. Além disso, pode causar infecção urinária, irritação local e alergia.

 

Camisinha feminina

O preservativo feminino é uma espécie de bolsa de plástico, que se adapta à vagina e protege o colo do útero, as paredes vaginais e a vulva, auxiliando na proteção contra doenças sexualmente transmissíveis, assim como o preservativo tradicional.

 

 

Contraceptivo hormonal injetável

O contraceptivo injetável é similar às pílulas: possui estrogênio e progesterona ou somente progesterona. As injeções podem ser mensais, mantendo a menstruação nos intervalos; ou trimestrais, com a menstruação suspensa. Em algumas mulheres pode causar ganho de peso, dor mamária, dor de cabeça e sangramento irregular. Além disso, não é indicado para mulheres que fazem uso de anticoagulantes pelo risco de formarem hematomas no local da injeção.

 

Implante hormonal

Os implantes são pequenos tubos de 3 cm com hormônio progesterona que ficam inseridos na pele, na região do braço, por até três anos. Pode causar ganho de peso, dor mamária, dor de cabeça, sangramento irregular, queda de cabelo e diminuição de libido.

 

Anel vaginal

Trata-se de um anel de silicone com cerca de 4 cm, que contém hormônio estrogênio e progesterona. É introduzido na vagina onde permanece por três semanas. Os hormônios são absorvidos pela mucosa vaginal e caem na circulação sanguínea. Pode provocar os mesmos efeitos colaterais da pílula, além de irritação vaginal.

 

Adesivo cutâneo

Os adesivos possuem cerca de 2 cm que liberam hormônios, que, igualmente a outros métodos, são absorvidos e liberados na circulação sanguínea. Apresenta os mesmos riscos dos outros métodos hormonais.

 

 

 

 

Importante: Independentemente do método contraceptivo, o preservativo é o único que previne a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis. Por isso, seu uso é indispensável.


Texto: Jailde Barreto / Design: Alex Mendes e Gustavo Deip

Fonte: Hospital Albert Einstein

Conteúdo aprovado pelo responsável técnico-científico do Portal Unimed.


Média (2 Votos)

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em