Voltar

O sono do bebê e das crianças

O sono do bebê e das crianças

Não tem receita mágica, mas uma rotina relaxante na hora de dormir facilita muito a vida (e o sono) das famílias

O sono do bebê e das crianças

11 Março 2021

Uma boa noite de sono é essencial em qualquer idade. Afinal, enquanto dormimos, o corpo fortalece o sistema imunológico, assimila as experiências do dia e libera hormônios importantes.

Na infância, a qualidade do sono também é fundamental. Ela impacta não só o desenvolvimento da criança, como também a qualidade do sono de toda a sua família. Confira aqui:

 

Importância do sono para o desenvolvimento infantil

Distúrbios do sono em crianças

9 dicas para a família toda dormir melhor

 

A importância do sono para o desenvolvimento infantil

O sono é importante para descansar, assimilar aprendizados e também para crescer. Isso porque o hormônio do crescimento é liberado em maior quantidade e velocidade durante o sono mais profundo.

Noites mal dormidas ou em quantidade de horas insuficientes podem levar a problemas no desenvolvimento físico, emocional e cognitivo das crianças.

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), esses problemas vão desde a sonolência simples até o comprometimento do humor, da criatividade, da atenção, do raciocínio, da memória e do equilíbrio.

Mas, quantas horas o bebê e a criança precisam dormir? Essa é a dúvida de muitos pais e mães. A resposta é: depende. As necessidades variam conforme a criança, mas, em geral, quanto mais novas, maior a quantidade de horas de sono. Confira a tabela de média de horas de sono por idade, segundo a SBP:

Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e Sleep Foundation

 

Distúrbios do sono em crianças

Dormir como um bebê? Quem já teve um em casa sabe que essa expressão nem sempre significa ter uma noite de sono tranquila.

Sim, é comum que, mesmo com fraldas limpas, temperatura normal, alimentação em ordem e rotina de sono cumprida, aquele bebezinho que dormia a noite inteira comece a acordar várias vezes por noite.

Muita calma nessa hora. Normalmente, esse comportamento noturno está associado a saltos de desenvolvimento. É comum que aconteçam por volta dos 4 meses e se repitam algumas vezes até os dois anos de idade, conforme o bebê vai adquirindo novas habilidades.

As novidades deixam os bebês mais agitados e podem impactar na qualidade do sono. Vale praticar a empatia. Afinal, quem nunca teve dificuldade para dormir depois de fortes emoções e descobertas?

Nos bebês, a fase dura cerca de 1 a 4 semanas e requer muita paciência e carinho dos cuidadores até que ele se adapte a essa mudança de percepção do mundo.

Quando o bebê acordar à noite, o recomendado pela SBP é checar a temperatura e as fraldas e ficar no quarto dele até que ele se acalme e adormeça novamente. Sempre que possível, reveze esse atendimento noturno para garantir um mínimo de qualidade de sono aos adultos envolvidos.

 

Outros distúrbios do sono em crianças

É importante observar a criança e conversar sempre com o pediatra sobre alterações no sono dela, mesmo as que pareçam comuns.

Distúrbios noturnos, se forem muito frequentes, podem requerer um acompanhamento médico especializado. É o caso de terror noturno, sonambulismo, agitação intensa, despertar confuso e sonilóquios (falar dormindo).

Terror noturno: diferentemente dos pesadelos, os episódios de terror noturno ocorrem mais no início da noite. A criança tem um semidespertar assustado, com batimentos cardíacos e respiração acelerados. Mais comum entre crianças entre 5 e 7 anos de idade, pode durar de 30 segundos a 5 minutos. Normalmente a criança não se lembra no dia seguinte.

Sonambulismo: consiste em levantar-se da cama e perambular pelo quarto, podendo despertar, mas sem lembrar no dia seguinte. São necessários cuidados para evitar acidentes. Pode ser desencadeado por fortes emoções ou febre.

Sonilóquios e agitação intensa: quando a criança fala ou se mexe muito à noite. A orientação nesses casos, segundo a SBP, é o estímulo às boas práticas noturnas, com horários e ambientes adequados para o sono. Em situações que não respondem a essas medidas, exames ou tratamentos farmacológicos poderão ser indicados.

 

9 dicas para a família toda dormir melhor

Não existe uma receita para fazer bebês e crianças dormirem. Mas a criação de uma rotina com rituais de sono ajuda muito a reduzir a ansiedade e a expectativa na hora de dormir, tanto para a criança quanto para a família.

O papel dos pais ou cuidadores nessa hora é transmitir segurança e um ambiente favorável ao relaxamento. Confira 9 dicas para ajudar a criança a dormir melhor (e, consequentemente, toda a família):

  1. Diferenciar bem dia e noite: durante o dia, manter o ambiente claro, com os movimentos e sons comuns da casa; à noite, reduzir o ritmo e as luzes. Isso ajuda a regular o relógio biológico da criança
  2. Jantar pelo menos 2 horas antes de ir para cama e evitar alimentos e bebidas estimulantes, como chocolate, refrigerante, cafeinados ou chá-mate
  3. Evitar brincadeiras agitadas e telas pelo menos 1 hora antes de dormir
  4. Um banho morninho antes de deitar é ótimo para a criança relaxar
  5. Ter um mesmo horário para dormir e para despertar todos os dias também ajuda a regular o ritmo circadiano, importante para a qualidade de sono e vigília em todas as idades. Mas lembre-se de que a criança precisa de mais horas de sono que os adultos, por isso, o ideal é que deitem antes
  6. Levar a criança para a cama ainda acordada para fazer o ritual do sono, ficando perto. Adormecer no próprio quarto ajuda no desenvolvimento de autonomia e segurança para dormir sozinha, facilitando que volte a dormir, caso acorde no meio da noite
  7. A rotina pré-sono pode ser adaptada conforme o perfil da família: ler histórias, cantar músicas calmas, fazer uma massagem ou uma oração. O importante é que sejam momentos agradáveis e relaxantes que marquem que é hora de dormir
  8. Se a criança tiver medo do escuro, vale deixar uma luz fraca acesa, de preferência vermelha ou amarela, para deixá-la mais segura
  9. No caso dos bebês, ter a rotina para os cochilos do dia também é importante: o ideal é que sejam curtos e não muito no fim da tarde para não atrapalhar o sono noturno

Proporcionar uma rotina e ambientes relaxantes para o sono traz benefícios não só para a criança, mas para toda a família. Afinal, nada mais gostoso depois de um dia agitado que observar uma criança dormindo tranquila. Aproveite esse momento!

 
O desafio é acordar cedo com disposição? Leia aqui

Fontes: Instituto Brasileiro do Sono, Sociedade Brasilieira de Pediatria, Sleep Foundation


Texto: Agência Babushka | Edição e Revisão: Unimed do Brasil

Revisão técnica: equipe médica da Unimed do Brasil


Média (1 Votar)
Avaliar:

COMPARTILHAR:


 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em