Voltar

Automedicação, não!

Automedicação, não!

Automedicação, não!

29 Fevereiro 2016

29 de fevereiro de 2016.
 

Uma cólica aqui, e lá vamos nós recorrer à famosa caixinha de remédios. Uma dor de cabeça ali, e certamente aquele remedinho que a tia toma vai amenizar. Um pouco de insônia, e então quem sabe um calmante possa resolver. Situações como essas se tornaram tão habituais que passam o aspecto de que a automedicação não envolve risco algum. Para se ter ideia do quanto essa prática está presente no dia a dia das pessoas, um levantamento feito pelo Instituto de Ciência Tecnologia e Qualidade (ICTQ) identificou que 76,4% dos brasileiros costumam se automedicar.
 

Motivos para não se automedicar:
 

- Utilizar medicação sem orientação de um profissional pode mascarar uma doença mais grave, dificultando o diagnóstico precoce.
 

- O uso abusivo de remédios pode causar náuseas, relações alérgicas, problemas gastrointestinais e efeitos sobre o sistema nervoso central.
 

- A atenção com os antibióticos deve ser ainda maior, pois o uso indiscriminado pode facilitar o aumento da resistência dos microrganismos e comprometer a eficácia do tratamento.
 

- Fazer uso de mais de um medicamente ao mesmo tempo pode anular ou potencializar o efeito um do outro.
 

Confie  e siga as inttruções de seu médico de confiança e confira um vídeo sobre os perigos da automedicação no canal da CNU no YouTube



Média (0 Votos)

COMPARTILHAR: