Voltar

Oftalmologista orienta pais sobre os cuidados com a visão da criança

Oftalmologista orienta pais sobre os cuidados com a visão da criança

Oftalmologista orienta pais sobre os cuidados com a visão da criança

24 Fevereiro 2017

24 de fevereiro de 2017.

Com a volta das aulas, o ideal é que os pais levem os filhos para consultas oftalmológicas para checar a visão, principalmente no início da fase escolar, em que as crianças são mais imaturas para observar se há algo de errado na saúde ocular, orienta o oftalmologista, Dr. Danilo Bechara Rossi, cooperado da Unimed Catanduva.

De acordo com o médico, o cuidado com a saúde dos olhos começa logo após o nascimento, com o Teste do Reflexo Vermelho, direito concedido a todas às crianças pela Lei Estadual 12.551/2007.

Mesmo após o crescimento, é recomendado que os pais levem a criança ao oftalmologista regularmente, ainda que não haja sinais que levante suspeita de algo anormal, a visita regular fará com a criança tenha um acompanhamento adequado e preventivo. “Caso a criança venha ter algum déficit visual, terá acompanhamento adequado, garantindo uma visão saudável na fase adulta”, explicou.

É comum durante o período de férias, grande parte das crianças exagerar no uso de celulares, tablets, videogames e outros eletrônicos. É neste período que essas crianças, consequentemente, forçam a visão, sendo recomendável a avaliação do oftalmologista antes ou logo após o retorno às aulas. “O uso excessivo da visão de perto, pode estimular um aumento da miopia (dificuldade de enxergar de longe). Esse problema além de atrapalhar a prática esportiva também prejudica a socialização da criança, que vive num mundo isolado, um mundo virtual”, alertou.

O oftalmologista ainda explica que o ato de ‘forçar a visão’ provoca também o  ressecamento dos olhos, o que causa também irritabilidade nos pequenos. “Ao ficar focado em único plano de visão, a criança pisca menos e somado a luminosidade da tela, pode haver um ressecamento da córnea e depois de algumas horas a criança percebe que o olho esta ardendo e começa a coçar o olho, é neste momento que começa um círculo vicioso”, explicou.

Tempo

De acordo com o oftalmologista, não existe um tempo cronológico definido para que a criança fique em frente à tela dos eletrônicos, o que é de conhecimento é que quanto mais ela ficar ‘forçando’ para enxergar de perto, maior será a probabilidade dela estimular uma miopia precoce, pelo fato de ficar usando muito a acomodação da visão, principalmente por serem letras pequenas de celulares e tablets.

“É importante que os pais estabeleçam períodos para criança ficar em frente a tela dos eletrônicos e mesmo depois, na adolescência, é importante que o adolescente siga essa regra de evitar o uso prolongado desse tipo de mídia”, ressaltou Dr. Danilo.

Ainda de acordo com o especialista, é comum os pais se queixarem de que o filho está com dor de cabeça, após ficar até de madrugada no computador, ou celular, e ao examiná-lo descobre-se que não há necessidade do uso de óculos. “A dor de cabeça apresentada é parte do esforço da visão que faz uma convergência dos olhos para olhar de perto, e se essa musculatura fica por horas focada olhando para um único ponto de perto, chega a uma hora que começa a entrar em fadiga (cansaço), no qual, começa a ter dor de cabeça, sonolência e desânimo”, explicou.

Como evitar o desconforto?

Tanto o adulto que trabalha diretamente com o computador oito horas por dia, quanto o estudante ou até a criança que ficam algumas horas em frente ao celular ou tablets, é recomendável que façam micro pausas de cinco minutos a cada uma hora, para dar um relaxamento a visão. “Durante pausa, pode ser feito uma compressa de gelo, fixar olhar para o horizonte, tudo para relaxar a visão. Isso ajuda manter uma boa qualidade na visão”, recomendou.

Fonte: Unimed Catanduva

 



Média (0 Votos)

COMPARTILHAR: