Voltar

Unimed Limeira realiza primeira cirurgia cardíaca com o coração do paciente batendo

Unimed Limeira realiza primeira cirurgia cardíaca com o coração do paciente batendo

Unimed Limeira realiza primeira cirurgia cardíaca com o coração do paciente batendo

16 Maio 2017

16 de maio de 2017.

Inédito em Limeira e região, o Hospital Unimed Limeira - HUL realizou, no início deste mês, a primeira cirurgia cardíaca de revascularização do miocárdio com o coração do paciente batendo, sem necessidade de interrupção dos batimentos cardíacos através da transferência das funções vitais do órgão para a ‘Máquina de Circulação Extracorpórea’ - Técnica geralmente utilizada em procedimentos cardíacos de alta complexidade.

A cirurgia foi realizada pela equipe ‘VirtusCor’ formada pelo ‘HeartTeam’ – novo modelo de diagnóstico e tratamento de doenças cardiovasculares ultracomplexas formado por cirurgiões cardíacos do HUL, coordenada pelos médicos Alexander Anderson e Marcelo de Almeida Costa, bem como por cardiologistas, anestesista, fisioterapeuta, instrumentador, circulantes, enfermeira, nutróloga, entre outros profissionais da saúde sob a direção do Diretor-Técnico e médico coordenador da UTI - Adulto do Hospital Unimed Limeira, Luís Eduardo Miranda Paciência.

O procedimento foi proposto pelo Coordenador do Departamento de Cardiologia do Hospital Unimed Limeira, Thiago Mazer. De acordo com os cirurgiões cardíacos do HUL, com este método há menos riscos para o paciente, menor tempo de cirurgia e uma recuperação mais rápida e eficaz. A intervenção durou 2h15, (o paciente teve alta médica em 2 dias), sendo que, se o procedimento fosse realizado através do método tradicional, haveria necessidade de quase o dobro do tempo para esse tipo complexo de operação.

“Esta técnica é mais complicada; porém traz muitos benefícios ao paciente como menor permanência na UTI, redução de riscos de infecção, de distúrbios de coagulação sanguínea, disfunção renal e/ou hepática, já que não haverá a circulação extracorpórea, ou seja, não desviaremos o sangue do corpo para tubulações de coração e pulmão artificiais”, explicam os médicos.

Opção

A escolha em fazer a cirurgia com a nova técnica foi do motorista de caminhão, Aparecido Pereira de Souza - 44 anos, casado e pai de uma filha. “A minha esposa achou meio estranho, mas a opção foi minha e correu tudo bem, Graças a Deus! Agora eu só quero ir embora jogar bola, voltar a trabalhar e mudar alguns hábitos ruins, como cigarro. Vou começar vida nova. Agradeço muito a estes médicos. Que a Unimed evolua sempre”.

De acordo com os médicos cirurgiões, a escolha por esta cirurgia tem de ser de toda equipe médica – ‘HeartTeam’, analisando compatibilidade para a execução desse procedimento. “Esse tipo de cirurgia, embora inédita aqui no município, é uma técnica consagrada que já demonstra grande eficácia. Contudo, a decisão é tomada principalmente pelo paciente e seus familiares, temos de ter anuência. Sem permissão não podemos optar por essa técnica”, afirmam.



Média (0 Votos)

COMPARTILHAR: