Voltar

Parto normal: tire suas dúvidas

Parto normal: tire suas dúvidas

Quais fatores podem impedir a mulher de ter um parto normal, quais mitos impedem a gestante de escolher pelo procedimento? Entenda essas e outras dúvidas neste quiz

Parto normal: tire suas dúvidas

7 Setembro 2018

O Brasil é o segundo país do mundo com o maior número de cesáreas. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece uma proporção de até 15% de partos por cesárias, mas no Brasil este número é de 57%. Muitos desses bebês nascem de cesáreas agendadas. No entanto, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) informa que não há evidências científicas que justifiquem antecipar o parto, salvo quando há riscos claros para a mãe e o bebê. Além disso, estudos mostram que crianças que nascem antes do tempo são mais frequentemente internadas em UTIs neonatais e apresentam mais problemas respiratórios. Optar pelo parto normal ou pela cesárea costuma ser dúvida entre muitas mulheres. Esclareça mais neste quiz.

1 - Parto normal e parto humanizado é a mesma coisa.

Informação adicional:
O parto normal é o nascimento pelo canal vaginal e sem a intervenção cirúrgica que ocorre na cesárea. Já o parto humanizado não é um tipo de parto, mas sim o modo como a gestante é acolhida antes, durante e após o parto. Isso inclui criação de espaços adequados nas maternidades, realização de um pré-natal de qualidade e recebimento de todas as orientações sobre a gestação e o parto, a fim de gerar acolhimento, conforto e segurança. Faz parte do parto humanizado ter um ambiente tranquilo, iluminação adequada, poder escolher a posição do parto, realizar banhos quentes, massagens, técnicas de relaxamento, receber imediatamente o bebê nos braços após o nascimento, entre outras.

2 - A cesárea não tem riscos para mãe e bebê.

Informação adicional:
A cesárea é uma cirurgia abdominal de médio porte que precisa de indicação para ser realizada. Ela deve ser considerada apenas quando há riscos reais para a gestante e a criança. Segundo o Ministério da Saúde, estudos científicos mostram que quando não há indicação clínica, a cesariana aumenta em 120 vezes a probabilidade de problemas respiratórios para o recém-nascido e triplica o risco de morte para a mãe.

3 - A cesárea só é indicada se houver riscos para a mãe ou bebê.

Informação adicional:
A cesariana só é indicada pelos médicos quando houver riscos de complicações para a mãe, bebê ou ambos. Dentre os casos está hipertensão grave que descompensa, gestante soropositiva (vírus da Aids), quando o cordão umbilical sai antes do bebê, quando a placenta descola antes do nascimento, se a cabeça do bebê for desproporcional à passagem da mãe, se o bebê estiver atravessado ou sentado, e ainda, se a localização da placenta impedir a saída do bebê.

4 - Antecipar o parto do bebê não é prejudicial se a mãe já estiver com 38 semanas de gestação.

Informação adicional:
Estudos mostram que crianças que nascem precocemente, entre a 37ª e 38ª semana de gestação, são mais frequentemente internadas em UTI neonatal, apresentam problemas respiratórios, tem maior risco de mortalidade e déficit de crescimento. De acordo com pesquisas realizadas pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância, o Unicef, o número elevado de cesáreas no Brasil está relacionado ao agendamento de cesáreas antes do trabalho de parto espontâneo, geralmente, entre a 37ª e 38ª semana de gestação. As últimas semanas de gestação são importantes para o bebê, pois permitem ganho de peso, maturidade cerebral e pulmonar.

5 - O parto normal é mais benéfico para a mãe.

Informação adicional:
O parto normal promove, dentre outras coisas, a recuperação mais rápida da mãe, favorece o aleitamento materno, reduz o risco de complicações como infecções, não deixa cicatrizes, não há dores de pós-parto, reduz o uso de medicações, permite interação plena e imediata da mãe com o bebê e favorece o vínculo maternal.

6 - O parto normal traz mais benefícios para o bebê do que a cesárea.

Informação adicional:
Desde que o bebê esteja saudável, o parto normal tem mais benefícios do que a cesárea. O parto normal ocorre de maneira espontânea, ou seja, respeita o tempo certo de nascimento da criança. Ao passar pelo canal vaginal, o tórax do bebê é comprimido, estimulando a expulsão do líquido amniótico dos pulmões. Além disso, acelera a maturidade pulmonar e previne problemas respiratórios, melhora o sistema neurológico e fortalece o sistema imunológico do bebê. No trabalho de parto espontâneo são liberadas substâncias que auxiliam no amadurecimento do organismo da criança.

Fim do teste

Você acertou das questões
Clique no botão abaixo para refazer o teste.

Texto: Jailde Barreto / Design: Alex Mendes e Gustavo Deip

Fonte: Cartilha Quem Espera, Espera– Unicef, Ministério da Saúde, Agência Nacional de Saúde Suplementar e Organização das Nações Unidas (ONU)

Conteúdo aprovado pelo responsável técnico-científico do Portal Unimed.


Média (4 Votos)
Avaliar:

COMPARTILHAR:


Cadastre-se para receber novidades e notícias

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.

 

Uma publicação compartilhada por Unimed (@unimedbr) em